Smartphones

Sony Xperia X Performance

maxresdefault

A empresa tentou uma e outra vez para criar um smartphone que iria encontrar o sucesso, e uma e outra vez ficou aquém. Mas quando aSony puxou a cortina sobre um lote de novos Xperia X no Mobile World Congress no início deste ano, permitiu ficarmos um pouco animados. Talvez foram estes os telefones certos no momento certo, e talvez a empresa iria encontrar a posição que estava procurando. Depois do desapontamento com o Xperia X Standard no mês passado, havia esperança de que o desempenho do high-end Xperia X Performance seria o telefone necessário para a Sony.

Para encurtar a história, não é um mau dispositivo. É um dispositivo útil, e, em muitos aspectos, é realmente muito bom. A coisa é, um smartphone de 600€ deve ser capaz de entregar um pouco de emoção para a pessoa que a possui.

Pros
– Desempenho de nível Flagship
– Projeto resistente à água
– Leve, Android Skin discreta

Contras
– Não vale o preço pedido
– Carece de algumas características que você esperaria de um High-End
– Câmera de qualidade média
– Superaquece ocasionalmente

Apesar dos 600€ o Xperia X Performance possui um processador de alto nível que corre muito bem, como resultado, a Sony aparentemente não sente a necessidade de trazer nada de novo para a mesa. O que temos aqui é um smartphone razoavelmente bom que carece de alma ou ambição, e, finalmente, que custa muito caro para o que oferece.

Mesmo sendo o X Performance o mais high-end dos quatro telefones Xperia, você não seria capaz de dizer só de olhar para ele. Na verdade não coloque um Xperia X Performance ao lado de um Xperia X standard, porque você provavelmente não vai distingui-los.

Começando na frente pelo ecrã IPS LCD de 5 polegadas e continuando para a traseira com a câmera de 23 megapixel, estes dois dispositivos são idênticos. Bem, até que despeje uma bebida sobre eles, pelo menos. O X Performance pega onde os anteriores flagships da Sony pararam, com proteção IP68 o que ajuda a livrar-se de poeiras e água com facilidade.

Além disso (e como o nome indica), o que estamos procurando num Xperia X com o mais rápido quad-core Snapdragon 820 é performance. No entanto o chipset combinado com 3GB de RAM, dá ao flagship X Performance bastantes cavalos de potência, mas o telefone ainda sofre de algumas peculiaridades do projeto bastante irritantes. O posicionamento dos botões de volume abaixo do power na borda direita só parece pouco prático. A menos que você seja um contorcionista de dedos profissional, é muito difícil segurar o X Performance com a sua mão direita e baixar o volume. Pode ser um dos pilares do design da Sony, mas isso não significa que não seja uma má ideia.

Bem. mas nem tudo é frustrante. A sensação quando se agarra e os acabamentos são muito bons e há algo amigável na sua aparência. Há um botão físico de dois estágios para a câmera abaixo das teclas de volume e é geralmente muito agradável de usar. Na outra ponta tem uma slot para os cartão SIM/microSD você se extrair com apenas a unha, em vez de ter que depender de um clipe. Esta slot, a propósito, vai levar cartões de memória até 200GB, o que é útil, uma vez que 12GB  dos 32GB de armazenamento interno são comidos pelo software do sistema. Para fazer face a um processador mais poderoso, ele tem uma bateria maior do que o normal 2,700mAh.

Visor e som

É um grande ecrã, capaz de cores brilhantes e vivas e pretos profundos. Temos os dois pontos de tecnologia de exibição Triluminos da Sony e seu motor X-Reality para produzir essas cores, mas tem a opção de ajustar o equilíbrio e a  saturação da tela, se os padrões não são do seu agrado.

Enquanto a tela usada pela Sony não mudou, no entanto, o contexto em torno da exibição não poderia ser mais diferente. Um ecrã de 1080p é bom para um telefone mid-range como o Xperia X, mas alguns dos flagships mais impressionantes que já vimos este ano usam ecrãs Quad HD. Lembre-se, este é um telefone que custa 600€ e se a Sony poderia espremer um 4K pelo menos para tentar igualar os seus concorrentes.

Resolução de lado, não há muito a reclamar sobre a tela do X Performance. As colunas, por outro lado, deixam um pouco a desejar. Há duas colunas na frente do Xperia para som estéreo, e a maior parte do tempo o áudio sai claro. O volume máximo do telefone fica aquém de alguns concorrentes também.

Programas

Os flagships X Performance vêm com Android 6.0.1 Marshmallow. Como de costume, é obscurecida um pouco por uma interface personalizada da Sony. Você vai ter que lidar com alguns widgets pré-ativados, mas no geral a Sony tem feito bem em ficar fora do caminho do Android. A única queixa real, quando se carrega no icon das aplicações aparece uma tela de pesquisa com recomendações para aplicativos aconselhados para download, e alguns deles são patrocinados.

Isso não é para dizer que o X Performance não vem com extras. A vantagem para a Sony em não ter parceiros arrogantes desta vez é que não há nenhum bloatware à vista. Em vez disso, os poucos aplicativos pré-carregados aqui são adições bem-vindas. O teclado SwiftKey é ativado por padrão, por um lado, e o app PlayStation está lá para aqueles que querem controlar sua PS4. Ainda assim, você também vai obter uma cópia não removível do AVG que provavelmente nunca irá usar, e um aplicativo da Sony chamado Sketch que permite “brincar” em fotos que tirou.

Precisamos disso? É um mistério para as idades. Se fosse por mim, todos os high-end Android deveriam apenas utilizar o stock Android. Como, obviamente, nunca vai acontecer, teremos de lidar com interfaces personalizadas e pintadas em cima do Android. Pelo menos a Sony está entre os menos problemáticos.

Câmera

Como mencionado, o Xperia X Performance tem as mesmas câmeras que o Xperia X standard, o que significa que tem os mesmos problemas também.

Primeiro, a boa, a câmera selfie de 13 megapixels é muito grande, e a câmera principal de 23 megapixels pode tirar algumas fotos vibrantes e detalhadas em ambientes bem iluminados. É rápido a fixar os alvos também, se não tão rápido como a linha Galaxy S7 da Samsung.

Para os objetos em movimento, vai ficar feliz em saber que você pode tocar o objecto na tela para fazer o foco e segui-lo. Se você precisar de ainda mais controle, pode alternar para um modo totalmente manual que permite ajustes de balanço dos brancos, exposição e muito mais.

As coisas ficam um pouco menos agradáveis no escuro, onde vai começar a ver uma boa quantidade de grãos e contornos suaves a aparecer. A Sony tentou atenuar este problema definindo a resolução de imagem padrão para oito megapixels com oversampling. Este modo basicamente tenta espremer os dados de uma foto de 23 megapixels em um 8 megapixels, mas não é o suficiente para fazer frente ao Galaxy S7. E enquanto o  X Performance normalmente trabalha bem à luz do dia, não se pode dizer o mesmo com uma situação de muita luz. Quando isso acontece, vai perceber cores começam a ficar lavadas. Também não vai poder usar o Xperia X Performance para filmar vídeo 4K – outra característica principal que está faltando aqui. Os vídeos de 1080p são apenas razoáveis.

E depois há os aplicativos da câmera, que a Sony usa para injetar um pouco de diversão na experiência da câmera. Estes vão desde aplicações que colocam dinossauros bem no meio do seu escritório, para as máscaras que se agarram a sua cara através da câmera selfie até a um filtro que transforma o mundo ao seu redor na casa de um estudante de arte. O único problema é que esses recursos podem fazer com que o telefone superaqueça. Quando o fazem, a aplicação da câmera força o fecho para manter as coisas. Em nenhum momento o telefone fica desconfortavelmente quente, mas eu não me lembro da última vez que uma aplicação nativa forçou um dispositivo a comportar-se de forma tão drástica.

Desempenho e duração da bateria

Felizmente, o Xperia X Performance consegue fazer jus ao nome. Ele é tão rápido quanto os flagships da concorrência. Isso é tudo graças ao chipset Snapdragon 820 combinado com 3GB de RAM e uma GPU Adreno 530. O Xperia X Performance tem 1GB RAM menos do que a maioria de seus rivais, o que provavelmente contribui para os soluços ocasionais.

A bateria 2,700mAh no X Performance é uma mistura. Ao colocá-lo em teste de vídeo (looping um vídeo de alta definição com o brilho da tela definido para 50 por cento e Wi-Fi ligado), o telefone durou apenas nove horas e oito minutos. Isso é cerca de 50 minutos menos do que o obtido pelo OnePlus 3 e horas atrás do HTC 10, LG G5 e das duas versões do Samsung Galaxy S7. Felizmente, o X Performance se saiu muito melhor com o uso diário. Usando o modo Stamina incluído, eu pode durar quase um dia e meio. Esta é uma área onde o normal, Xperia X supera seu primo mais poderoso. Consegue-se manter essa coisa viva por quase três dias de uso com uma única carga. Acho que o Snapdragon 820 tem bastante sede.

A competição

O Xperia X Performance é um telefone com um grande processador e preço, mas, é um negócio terrível. Entre a câmara média, bateria irregular, escolhas de design questionáveis e falta de gravação de vídeo 4K, este telefone vai ser difícil de vender. É melhor gastar os seus 600€ em um Galaxy S7 ou um HTC 10, ou até mesmo um OnePlus 3 e um jantar. Pode-se até argumentar que você é melhor comprar um telemóvel da Sony já com um ano como o Z5 Premium. Ele tem uma impressionante exibição de 4K, grava vídeo 4K e possui uma bateria maior por muito menos do que 600€.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s